quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

BOAS FESTAS! BOAS FESTAS! BOAS FESTAS!

PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: 15 DEJANEIRO DE 2012


Agradecemos por sua companhia ao longo de mais este ano que está chegando ao fim.
Que em 2012 continuemos a trilhar juntos os caminhos das boas recordações dos Anos Dourados!!!

blcamargo e equipe



FATOS - CONSELHOS E DICAS DE ANTANHO (nº 04)



-Veja outras pérolas do passado clicando em "Fatos - Conselhos e Dicas" da relação na coluna ao lado.

-Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: um belo verso natalino de Manuel Bandeira.

AVISOS - MURAL DE LEMBRETES

- Clique nas imagens, para aumentá-las.

- Faça seu comentário. É fácil e rápido.

- Recordar faz bem à mente. Divulgue este blog aos parentes e amigos "mais vividos"

- Até 2012!!!

FATOS - PARADA DE SUCESSOS

Estiveram nas paradas de todo o Brasil, no ano de 1968:

* Ciúme de Você (Roberto Carlos)

* Massachusets (Bee Gees) = Esses caras estão na telinha abaixo. Clique para vê-los e ouvi-los:






* Aquela Rosa (Eliana Pittman)

* ANDANÇA (Beth Carvalho e Golden Boys) = Clique na telinha para ouvir esse sucesso:



FATOS - Coisas do Futebol Dourado

Noite de 06 de março de 1968. Estádio do Pacaembu. Final de jogo: Santos 0 x Corinthians 2.
Quebrado o tabu que persistia por 11 anos (em 22 jogos pelo Campeonato Paulista)!


 A euforia corinthiana!
 

Os times estavam assim formados:

CORINTHIANS: Diogo - Osvaldo Cunha - Ditão - Luís Carlos/Clovis - Maciel - Edson - Rivelino - Buião - Paulo Borges - Flávio e Eduardo. Técnico: Lula.

SANTOS:  Cláudio - Carlos Alberto - Ramos Delgado - Joel/Oberdã - Rildo - Lima - Negreiros - Kaneko - Toninho - Pelé e Edu. Tecnico: Antoninho.



Paulo Borges caído entre os santistas Ramos Delgado e Negreiros


Esse "jogaço" lotou o estádio e foi apitado pelo juiz argentino Roberto Goicochea, que formava com Armando Marques a dupla de árbitros de maior prestígio no país.
Os gols foram marcados no segundo tempo: Paulo Borges (14') e Flávio (31').
Curiosidades desse jogo:
-A renda foi de NCr$ 153.390,50.
-O técnico Lula havia dirigido a equipe praiana por mais de 10 anos (na época de ouro do time)
-Paulo Borges e Eduardo eram reforços recém-contratados.



Paulo Borges e Flávio, os principais "carrascos" do Santos



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Mensagem do Papa Paulo VI no Natal de 1969

IMAGENS - Gibi estrangeiro: "SUPERBOY"

Gibis americanos dos anos 50. Sua estrela é o famoso super-herói juvenil, que foi muito popular aqui também nos áureos tempos dos quadrinhos.


 1953


 1953


 1954


 1954



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: o espírito natalino nos gibis americanos.

IMAGENS - ANÚNCIOS NATALINOS

Para os Natais dos Anos 50!!!


1950


1953


1954


1955


1958


1959



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: outros anúncios para os Papais Noéis daqueles tempos.

IMAGENS - Cartaz: "O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA"

Quando se fala nos dois "JOHNs" deste filme (Ford, o diretor e Wayne, o ator) logo vem à cabeça os inesquecíveis cowboys (faroeste, western, bangue-bangue, filme de mocinho, etc) dos anos 50 e 60.






Nosso filme de hoje , além deles, ainda conta com a participação de outros grandes nomes da época de ouro de Hollywood: James Stewart e Lee Marvin.
"O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA" (de 1962) é considerado um mais densos filmes do cinema americano do gênero.


(cartaz de 1963, ano em que o filme chegou ao Brasil)




E, agora, vamos à sua história:
Stewart, um jovem advogado antiviolência  (que nem atirar sabe) chega a uma cidadezinha. É assaltado e agredido por um bandido temido pela violência e rapidez no gatilho (Marvin) e jura colocá-lo na cadeia através da Justiça (isso num tempo e lugar em que as coisas eram resolvidas "no muque" e "à bala").
Toda essa situação faz com que ele conheça e faça amizade com Wayne (um grandalhão legal e bom de revólver) e a bela Vera Miles, que passa a ser "disputada" por ambos.


(cartaz argentino)



Após rolar muita água , chega-se às ultimas consequências com a marcação e a realização de um "encontro" entre o pistoleiro mau e o pacato advogado (que certamente iria morrer).
E acontece o inimaginável: o doutor vence o duelo, matando o famoso bandidão!!!
Com isso, ganha o coração da mocinha (com quem se casa), sai da cidade e faz carreira política (graças à notoriedade que alcançou com o acontecido).






Muitos anos depois o casal volta à cidadezinha para o funeral do antigo amigo, o grandão John Wayne (lembram-se?). Isso causa estranheza. Porque um importante político se deslocaria até aquele fim de mundo apenas pela morte de um morador desconhecido. Sobre isso ele é questionado pelo jornal da região e tenta se esquivar da resposta. Ante a firme posição do jornalista ele resolve tornar pública uma verdade que o perseguiu por todos esses anos:
No célebre duelo que o tornou homem público de sucesso (governador e senador) o tiro que matou o facínora não foi o dele (que errou, como era de se esperar), mas sim do amigo agora morto (que se posicionou para isso, sem ninguém saber).



 (olha os três aí)


 
Ao terminar a narrativa, pergunta se o jornal publicará a história. Clique na telinha para ver um trechinho desse grande filme e  a famosa resposta.




Embora não tenha nada a ver, é oportuno ouvir esta música do Roberto Carlos, grande sucesso de 1965: "História de um Homem Mau". É só clicar na telinha abaixo.




Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: filmes natalinos


IMAGENS - Brinquedo: Saco de presentes de antigo Papai Noel

Alguns presentes que levaram alegria para a criançada de 1964:














Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Cestas de Natal Amaral

FATOS - Cinema Brasileiro : ÍDOLOS DA MÚSICA NO CINEMA

Esses filmes abaixo, do final dos anos 60, foram protagonizados por nomes famosos da nossa música na época (alguns até hoje).


AGNALDO RAYOL



ROSEMARY e JAIR RODRIGUES



CONJUNTO "OS INCRÍVEIS"



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Loteria Natalina dos anos 50/60

IMAGENS - Escola: "... à vista de uma gravura"

Escola primária dos anos 50/60 (3º e 4º "anos"). Aula de "Linguagem". O professsor coloca na frente da sala um tripé (às vezes, até um rústico cavalete) contendo cartazes com ilustrações bem feitas e coloridas dos mais variados temas (crianças brincando, paisagem, atividades na escola, cenas do cotidiano da cidade ou da roça, etc).






Feito isso, ele vai ao pequeno armário, retira e manda distribuir a cada aluno o seu respectivo e conservadíssimo "caderno de linguagem"  (quando o trabalho não é feito no usadíssimo caderno de ocupação, amarrotado e cheio de "orelhas").
Terminada essa "operação", diz à atenta classe que deverá ser feita uma "composição à vista de uma gravura". Escolhe um dos cartazes que ficará exposto no tripé (como o "flip-cart" de hoje), ou pendurado na parte de cima da lousa.
Recomenda capricho, criatividade e outras "formalidades" de praxe. E, então, a turminha começa a dar asas à imaginação.





Nessa altura, a criançada já sabia que "composição" indicava a criação de uma pequena história onde os personagens tinham nome e viviam situações conforme mostrava a ilustração (e a cabeça engendrava).
Já tinha aprendido que era diferente da bem mais fácil "descrição"  (tão-somente uma apresentação detalhada do que era visto na gravura, sem "grande esforço" de imaginação e criatividade.






Mas, além dessas práticas, mais uma fazia parte da rotina do dia a dia do pessoal já alfabetizado do Grupo Escolar: a chamada "reprodução". Cada um abria seu livro de leitura (Coração Infantil,Coleção Sodré, Infância Brasileira, Meninice, Tesouro da Criança, Vamos Sorrir, etc) e lia uma pequena história escolhida pelo mestre.
Terminado o tempo estabelecido para a leitura silenciosa (suficiente para algumas repetições) os alunos deveriam reproduzí-la no caderno, "com suas palavras". Das três modalidades, era a que a criançada menos gostava, por ser a "mais difícil".
Todas essas atividades objetivavam o desenvolvimento da criatividade, da capacidade de observação, da memorização e do enriquecimento do vocabulário.


Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: PRESÉPIOS



IMAGENS - Carro: FORD COUPE

Automóvel americano Ford Coupe 2 Door, de 1941. Foi fabricado até 1948. Hoje pode parecer "esquisito", mas era considerado muito elegante, com seu corpo largo e sua frente/trazeira bem alta e pronunciada.

















Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: personagens de quadrinhos genuinamente brasileiros

IMAGENS - DISCO: Germano Mathias

Mais um que começou cantando em programa de calouro no rádio.
Seu jeito "estranho", o modo de pronunciar as palavras, o gestual e a latinha para marcar o ritmo logo chamaram a atenção do pessoal do mundo musical. Gravou seu primeiro disco em 1956.


1959



No ano seguinte já estava gravando mais dois LPs, sendo que, por um deles, veio a receber o mais cobiçado prêmio do rádio e televisão da época: O "Roquette Pinto".
Aí não parou mais, mantendo intensa atividade ao longo dos anos 60 (seu auge). Chegou a comandar um programa na TV Globo.


1968



Paulistano ("da gema"), aprendeu quando garoto o que seria sua marca registrada: o batuque com latinha de graxa de sapato (anos mais tarde, também com frigideira). Com sua ginga e muito humor no palco, suas apresentações eram sucesso absoluto (levando-o a alcançar altíssimos índices de popularidade). Isso alavancava e vendagem de disco. Participou de dois filmes do cinema nacional.



1969



Embora tenha vivido no Rio de Janeiro boa parte de seus tempos de glória, Germano é considerado o representante do samba puro paulista e foi alcunhado de "Catedrático do Samba".
Seu ritmo ainda é o eco do batuque dos engraxates da sua infância no centro da capital paulista.
Algumas das músicas dos anos 50/60  desse grande malandro paulistano (atentem para os títulos):
Hoje Tem Batucada, Malandro de Araque, Lata de Graxa, Baile do Risca-Faca, Nega Dina, História de um Valente, Doutor no Samba, Baiano Capoeira.
Germano Mathias continua "por aí".

Clique nas duas telinhas abaixo para ver e ouvir esse grande artista em ação. Na primeira, um trechinho do filme "Quem Roubou Meu Samba" (de 1959), em que ele canta e dança contracenando com Ankito e, devidamente "paramentado" de malandro dos anos 50 com seu chapeuzinho, camisa listrada e sapato de cor clara. Na segunda ele cantando seu divertido sucesso "Senhor Delegado" (de 1957):











Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal:  músicas natalinas






EFEMÉRIDES DOURADAS

15.06.1969

Fluminense, do técnico Telê Santana, vence o Flamengo (3 x 2) e torna-se campeão carioca.


29.12.1959

Inaugurado o Metrô de Lisboa, após 4 anos do início das obras.


10.11.1964

Sepultada no Cemitério de S. J. Batista, Rio de Janeiro, a grande poetiza e professora Cecília Meireles.


06.07.1957

Justiça mexicana autoriza o divórcio de Ava Gardner e Frank Sinatra.




Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Revista "Seleções" no espírito natalino.

ESTANTE DE LIVROS - Frederico Schmidt / Paulo Dantas/ Lygia F. Telles

Mais obras de importantes escritores brasileiros:



Exemplar da 1ª edição - 1959



 Exemplar de 1961



  Exemplar da 1ª edição - 1965



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Literatura Natalina

IMAGENS - Gibi: "FLASH GORDON"

Esse herói "nasceu" em 1933 nos Estados Unidos (precisava dizer onde?) para concorrer com outro personagem "interplanetário" chamado BUCK ROGERS. Flash ganhou de longe!
Já no ano seguinte chegou ao Brasil, primeiramente em tirinhas de jornal.


1935



Nessa mesma época entrou em cena, pela mesma empresa, mais um nosso antigo conhecido: "Jim das Selvas" para brigar com outro morador das florestas africanas, chamado "Tarzan". "Jim" perdeu feio! (como todos sabem).


1957



1960



Dos gibis nosso herói  foi parar no cinema, com os históricos SERIADOS dos anos 30/40 (leia aqui). Chegou, também no país de origem, à televisão e aos livros, em pouco tempo.



1964



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: gibis nacionais.

FATOS - Moda: Roupa feminina social e esportiva

Modelo de 1965, especial para recepcionar amigos em casa. De cetim enfeitado com passamanaria dourada. A pulseira no braço completa o visual.






Vestido leve de 1950, feito de algodão com desenhos multicores. Alças e echarpe da mesma fazenda.






Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Marketing Natalino: Varig! Varig! Varig!

IMAGENS - Velharia: BICICLETA MOTORIZADA

Algumas "magrelas" incrementadas, da década de 50. Veja aqui outras motorizadas de antigamente.


1952



1954
 
Anos 50



Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal:  Selos Postais Natalinos

VITROLA ANTIGA - "PRESTE ATENÇÃO" - Wanderley Cardoso

Clique na telinha para relembrar esta música de 1965:







Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: O Hino de Natal dos brasileiros: BOAS FESTAS", de Assis Valente.

IMAGENS - Velharia: Coleção "REINO ENCANTADO"

Livrinho de 1965 integrante de uma coleção infantil da tradicional "Editora Melhoramentos". Essa empresa pertence ao centenário grupo paulista "Melhoramentos" dedicado à produção de papel e  ao mercado editorial de litetatura para a infância e livro didático, principalmente.















Clique aqui para rever postagem da edição especial de Natal: Papai Noel na Televisão?