terça-feira, 15 de novembro de 2011

IMAGENS - Escola: Carteira escolar

"Grupo Escolar", disciplina rígida, "Caixa Escolar", curso primário, caderno de caligrafia, caneta de pena, cartilha, "composição à vista de uma gravura", "canto orfeônico". Isso e mais muitas outras coisas vêm à nossa memória quando tratamos da escola de nossa meninice nos anos 50 (e 60 também).
Mas o cotidiano escolar daqueles tempos não ficará completo se não relembrarmos aquelas desajeitadas e pesadonas carteiras de madeira e ferro onde os alunos se sentavam em dupla (as individuais, só muito depois). Elas eram herança dos anos 30/40.


anos 50 - dupla



Na parte superior do tampo (mais ou menos no meio) ficava o buraquinho circular onde se encaixava uma  latinha com tinta (quando a escola recebia) para molhar a pena da caneta (a esferográfica, também só mais tarte).


anos 60 - individual



A carteira fazia parte do mobiliário escolar da época (um tempo em que os alunos se levantavam quando uma visita adentrava à sala de aula e cantava-se o Hino Nacional quando do hasteamento da Bandeira no pátio do recreio, semanalmente).

Mais escola? É só clicar nos títulos:   Livros de matemática   -   Estojo "meia-boca"   -   Biblioteca da Professora   -   Livro "Flor do Lácio"   -   Maleta escolar   -   "Caixa Escolar"   -   Livros do Ginásio   -   Boletim escolar   -   Caneta de pena   -   Caderno escolar   -   Cartilha Sodré   -   Tabuada   -   Lápis de cor "Futeból"   -   Estojo de lápis de cor   -   ALONGADOR DE LÁPIS   -   Livro de Inglês

3 comentários:

jonas tozato disse...

Eu me lembro dos anos 1958 a 62 estudava na escola Afonso Cáfaro da cidade de Fernandópolis estado de SP.
Ao entrar levantava a mão e cantava : ...café café café café ora nois toma, eus o tango da aliançada aliança de beiral.
Lembro também de uma revistinha que recebíamos do Ministério da Educação pedindo as crianças desfazer do estilingue, dar liberdade aos animais,porquê não é matando aniquilando que o homem mostra ao mundo que é mais homem, mas sim pela sensibilidade de que é dotado.
Nossas carteiras tinha tinteiro onde colocavamos a tinta, pegava a pena molhava na tinta para escrever é tinha o mata borrão quando caia tinta no caderno ou carteira.
A professora tinha uma régua curta e grossa que batia em nossas pernas, quando não sabia a matéria na lousa e quando fazia arte ficava no corredor, quando passava a diretora, na época era dona Leonina, passava dando tapas.
Eu mesmo fiquei várias vezes, recebi muitas reguadas na perna.
A primeira professora nunca vou esquecer dona Dulce.

jonas tozato disse...

Eu me lembro dos anos 1958 a 62 estudava na escola Afonso Cáfaro da cidade de Fernandópolis estado de SP.
Ao entrar levantava a mão e cantava : ...café café café café ora nois toma, eus o tango da aliançada aliança de beiral.
Lembro também de uma revistinha que recebíamos do Ministério da Educação pedindo as crianças desfazer do estilingue, dar liberdade aos animais,porquê não é matando aniquilando que o homem mostra ao mundo que é mais homem, mas sim pela sensibilidade de que é dotado.
Nossas carteiras tinha tinteiro onde colocavamos a tinta, pegava a pena molhava na tinta para escrever é tinha o mata borrão quando caia tinta no caderno ou carteira.
A professora tinha uma régua curta e grossa que batia em nossas pernas, quando não sabia a matéria na lousa e quando fazia arte ficava no corredor, quando passava a diretora, na época era dona Leonina, passava dando tapas.
Eu mesmo fiquei várias vezes, recebi muitas reguadas na perna.
A primeira professora nunca vou esquecer dona Dulce.

Unknown disse...

Jonas tozato...
Eu também tudo igual vc...
Entrei na escola 1958...
Grupo Escolar Diogo Ribeiro
Município de Miracatú...
Primeira professora Maria Stela...