segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

IMAGENS - Cartaz: FILMES DE CHARLIE CHAPLIN - "CARLITOS"

Nos anos 50, principalmente, nossos cinemas foram pródigos na exibição de filmes de Charlie Chaplin. De tempos em tempos eram reexibidos, pois tinham sempre platéia garantida.
As décadas de 20 a 50 marcaram a realização de suas mais importantes obras cinematográficas.
As imagens abaixo poder ser ampliadas. É só clicar:


 "O GAROTO"
1921
cartaz brasileiro de  1959













Já há uns bons tempos os mais importantes lançamentos do cinema mundial (diga-se americano) chegam ao Brasil  simultaneamente (ou quase)  à estréia no país de origem. Antigamente não era assim. A maioria dos filmes chegavam aqui com defasagem de anos.
   

 "TEMPOS MODERNOS"

1936
cartaz brasileiro de 1960









Então, mesmo com "atraso", lá estava a garotada (e seus pais, tios, avós, etc)  assistindo fascinada o maior ator da história do cinema em suas performances engraçadas, ternas e inocentes.




"O GRANDE DITATOR"
1940
cartaz brasileiro dos anos 40















No Brasil Chaplin era chamado de "Carlitos" (em outros países, outros nomes) , pelo marcante personagem de um vagabundo gentil, inteligente, sonhador e de enorme coração que interpretou em diversos filmes (*) até a metade dos anos 50. Ficou eternizado pelos trejeitos cômicos e indumentária folgada e bem surrada: fraque esgarçado, calça rasgada, sapatos grandes e gastos, chapeú-coco, bengala e gravata.


"LUZES DA RIBALTA"
1952
cartaz brasileiro dos anos 50














Alguns dos filmes de Charlie Chaplin (que ainda estão na memória da garotada dos Anos Dourados):

-O Vagabundo - 1915 (*)

-O Garoto - 1921 (*)

-Em Busca do Ouro - 1925 (*) 

-O Circo - 1928 (*) 

-Luzes da Cidade - 1931 (*)

-Tempos Modernos - 1936

-O Grande Ditador - 1940 (seu 1º filme falado)

-Monsieur Verdoux - 1947

-Luzes da Ribalta  - 1952

-Um Rei em Nova Iorque - 1957




 "CARLITOS"




Ouça a linda música-tema (orquestrada) do filme "LIMELIGHT"-"Luzes da Ribalta" (no início dos anos 60 ela estourou nas paradas, também, numa versão cantada por Moacir Franco).







Veja também:   Filmes de guerra   -  Matinês   -   O Gordo e o Magro   -   Tony Curtis   -   Bonequinha de Luxo

2 comentários:

Edélvio Coêlho Lindoso disse...

"Luzes da Ribalta", 1952, não sei em que ano aqui chegou. O vi. Cinema do Parque, Recife, onde o cantor de "Conceição", ainda de bigodinho fino e sem a terrível fama de sua verdade, se escondia das meninas alvoroçadas em correrias. Carlito era além, o compositor daquela lindíssima música, e da letra. Bendita saudade.

"blcamargo" disse...

Obrigado, Edélvio, pela visita e simpático comentário. Volte sempre. Abração.