terça-feira, 15 de setembro de 2009

IMAGENS - Escola: Livro "Admissão ao Ginásio"

Anos 50. Naquela época (e muitos anos antes e até o início dos anos 70) havia "vestibular" para entrar no Ginásio. Era comum a criançada do 4º ano primário fazer uma espécie de cursinho visando preparar-se para o exame de "Admissão". Incrível, não ?


24 comentários:

"blcamargo" disse...

Oi, Glória. Muitíssimo obrigado pelo comentário elogioso. Isso só me motiva a continuar fazendo este bloguinho cada vez com mais empenho e dedicação.Quanto ao livro, infelizmente não sei como dar-lhe uma "dica", pois não o tenho e não conheço quem possa tê-lo. Em sua "homenagem" publicarei a foto de um outro livro(que estudei no "Curso de Admissão") em 1961.

Anônimo disse...

Que bom rever estas imagens! grata pela delicadeza de deixar a imagem deste livro tão precioso que um dia usei e que foi um marco na minha historia!

"blcamargo" disse...

Foi na minha história também. Agradeço o comentário. Volte ao blog outras vezes. Com certeza achará outras doces lemnbranças

Unknown disse...

gostaria de comprar este livro

"blcamargo" disse...

Carlos,
Obrigado pela visita e comentário. É muito difícil encontrar um exemplar. Mesmo em sebos é quase impossível.

Mota Sefrim disse...

oh minha mãe guarda este livro até hoje.Ela estudou nele em 1964.

"blcamargo" disse...

Agradeço a visita e comentário. Infelizmente não posso dizer o mesmo que sua mãe. Sinto não ter guardado as coisas daquela época. Um abração.

Anônimo disse...

Também estudei neste Livro, quero comprar um, como faço
ely.ene@bol.com.br

Regina Ramalho disse...

Tenho um livro desse, ganhei do meu bisavô.

"blcamargo" disse...

Nossa! Que legal! Deve guardá-lo, mesmo, com todo carinho! Parabéns. Abraço. Volte sempre.

"blcamargo" disse...

Ely, é difícil (mas não impossivel) de achar. Tente em sebos ou sites especializados.Grato pela visita.

Eliane disse...

Oi!!! Estou procurando o poema "Cabiúna" que se encontrava no livro Admissão ao Ginásio. Será que vc pode me ajudar????

"blcamargo" disse...

Olá Eliane. Grato pela visita. Se o poema é sobre um menino pobre que queria ir "na" Europa faça assim: entre em: lecirene.blogspot.com.br
Lá, na COLUNA DA DIREITA, clique no ano 2008 e, depois,no mês de julho. Role a tela e clique em "memorias". Espero ter ajudado. Volte sempre para este cantinho de recordações. Abraço.

Soares Oliveira disse...

Ouvia falar neste curso, mas como menino de roça não tinha o privilégio de estudar, somente aos 29 anos de idade, trabalhando no restaurante Vagliengo, ne Estação da Luz, tive a virtude de estudar numa escola particular, na Vila Gustavo e prestar o EXAME DE ADMISSÃO, no 2º Ginasio do Jardim Brasil, fui aprovado com a média 5,6 em matemática e 6,5 em português. Naquele Ginasio iniciei curso vindo terminar em Serra Dourada- Bahia

Olivio Soares de Oliveira

Soares Oliveira disse...

Será este o Poema Cabiúna?

Cabiúna era menino
E dizia: “Eu vou na Europa”
A mãe dele respondia:
“– Fica quieto, Cabiúna.
Cabiúna, não me amola.” A mãe dele não gostava.
Repreendia sempre, repreendia. . .
De dia ela costurava
Em frente ao mar, na janela.
E, costurando, cantava. “ – Minha mãe, eu cresço logo,
Fico grande e vou na Europa.
Deixa eu ir, minha mãezinha? ” “ – Que menino sem cabeça! ”
Sai daqui, não me aborreça.”
“ – Deixa eu ir, minha mãezinha. . .” Mas toda noite ela entrava
No quarto em que ele dormia
E, junto dele, chorava.
Cabiúna ficou grande,
Ficou grande e foi-se embora.
Trabalhando de taifeiro
Num navio brasileiro. Aconteceu que uma noite,
Junto de um cais estrangeiro
Virou criança: chorava.
Alguém, passando, assobiava
Uma canção parecida
Com as que a mãe dele cantava.

"blcamargo" disse...

Valeu, Olivio. Grato pela visita e comentário. Grande abraço

"blcamargo" disse...

É esse poema, mesmo. Grato pela contribuição, Soares. Foi muito legal! Volte sempre. abração

Maria White disse...

Que poema lindo! Ha muito tempo eu o buscava

"blcamargo" disse...

Valeu, Maria! Volte sempre. Grato.

Neuzir Benites disse...

Boa noite...tenho muitas lembranças dese livro, o qual tive a oportunidade de usar. Lembro de um poema sobre a inauguraçaõ de Brasília, obviamente não lembro o nome e também já procurei na internet e não encontrei, se puder me ajudar, ficarei imensamente grata.

Unknown disse...

Sou Professora de línguas estrangeira estudos da épocas da minha linda avo senhora normenamda foi lindo tempos de fabricas e escolas Suely morieri Brasília teimosa pina recife

Unknown disse...

Nossa que saudade!

Unknown disse...

Gente, me lembro bem dessa poesia, meu lia pra mim...Que saudade...

Unknown disse...

Ai, como eu amava e tbm chorava ! Meus irmãos mais velhos quando queriam que parasse de dar trabalho, pegavam o livro e dizia a pagina , (acho que 65 ) , então eu já parava e começava a chorar ...