terça-feira, 15 de setembro de 2009

IMAGENS - Escola: Livro "Admissão ao Ginásio"

Anos 50. Naquela época (e muitos anos antes e até o início dos anos 70) havia "vestibular" para entrar no Ginásio. Era comum a criançada do 4º ano primário fazer uma espécie de cursinho visando preparar-se para o exame de "Admissão". Incrível, não ?


21 comentários:

Glória disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
"blcamargo" disse...

Oi, Glória. Muitíssimo obrigado pelo comentário elogioso. Isso só me motiva a continuar fazendo este bloguinho cada vez com mais empenho e dedicação.Quanto ao livro, infelizmente não sei como dar-lhe uma "dica", pois não o tenho e não conheço quem possa tê-lo. Em sua "homenagem" publicarei a foto de um outro livro(que estudei no "Curso de Admissão") em 1961.

Anônimo disse...

Que bom rever estas imagens! grata pela delicadeza de deixar a imagem deste livro tão precioso que um dia usei e que foi um marco na minha historia!

"blcamargo" disse...

Foi na minha história também. Agradeço o comentário. Volte ao blog outras vezes. Com certeza achará outras doces lemnbranças

CARLOS ALBERTO disse...

gostaria de comprar este livro

"blcamargo" disse...

Carlos,
Obrigado pela visita e comentário. É muito difícil encontrar um exemplar. Mesmo em sebos é quase impossível.

Mota Sefrim disse...

oh minha mãe guarda este livro até hoje.Ela estudou nele em 1964.

"blcamargo" disse...

Agradeço a visita e comentário. Infelizmente não posso dizer o mesmo que sua mãe. Sinto não ter guardado as coisas daquela época. Um abração.

Anônimo disse...

Também estudei neste Livro, quero comprar um, como faço
ely.ene@bol.com.br

Regina Ramalho disse...

Tenho um livro desse, ganhei do meu bisavô.

"blcamargo" disse...

Nossa! Que legal! Deve guardá-lo, mesmo, com todo carinho! Parabéns. Abraço. Volte sempre.

"blcamargo" disse...

Ely, é difícil (mas não impossivel) de achar. Tente em sebos ou sites especializados.Grato pela visita.

Eliane disse...

Oi!!! Estou procurando o poema "Cabiúna" que se encontrava no livro Admissão ao Ginásio. Será que vc pode me ajudar????

"blcamargo" disse...

Olá Eliane. Grato pela visita. Se o poema é sobre um menino pobre que queria ir "na" Europa faça assim: entre em: lecirene.blogspot.com.br
Lá, na COLUNA DA DIREITA, clique no ano 2008 e, depois,no mês de julho. Role a tela e clique em "memorias". Espero ter ajudado. Volte sempre para este cantinho de recordações. Abraço.

Soares Oliveira disse...

Ouvia falar neste curso, mas como menino de roça não tinha o privilégio de estudar, somente aos 29 anos de idade, trabalhando no restaurante Vagliengo, ne Estação da Luz, tive a virtude de estudar numa escola particular, na Vila Gustavo e prestar o EXAME DE ADMISSÃO, no 2º Ginasio do Jardim Brasil, fui aprovado com a média 5,6 em matemática e 6,5 em português. Naquele Ginasio iniciei curso vindo terminar em Serra Dourada- Bahia

Olivio Soares de Oliveira

Soares Oliveira disse...

Será este o Poema Cabiúna?

Cabiúna era menino
E dizia: “Eu vou na Europa”
A mãe dele respondia:
“– Fica quieto, Cabiúna.
Cabiúna, não me amola.” A mãe dele não gostava.
Repreendia sempre, repreendia. . .
De dia ela costurava
Em frente ao mar, na janela.
E, costurando, cantava. “ – Minha mãe, eu cresço logo,
Fico grande e vou na Europa.
Deixa eu ir, minha mãezinha? ” “ – Que menino sem cabeça! ”
Sai daqui, não me aborreça.”
“ – Deixa eu ir, minha mãezinha. . .” Mas toda noite ela entrava
No quarto em que ele dormia
E, junto dele, chorava.
Cabiúna ficou grande,
Ficou grande e foi-se embora.
Trabalhando de taifeiro
Num navio brasileiro. Aconteceu que uma noite,
Junto de um cais estrangeiro
Virou criança: chorava.
Alguém, passando, assobiava
Uma canção parecida
Com as que a mãe dele cantava.

"blcamargo" disse...

Valeu, Olivio. Grato pela visita e comentário. Grande abraço

"blcamargo" disse...

É esse poema, mesmo. Grato pela contribuição, Soares. Foi muito legal! Volte sempre. abração

Maria White disse...

Que poema lindo! Ha muito tempo eu o buscava

"blcamargo" disse...

Valeu, Maria! Volte sempre. Grato.

Neuzir Benites disse...

Boa noite...tenho muitas lembranças dese livro, o qual tive a oportunidade de usar. Lembro de um poema sobre a inauguraçaõ de Brasília, obviamente não lembro o nome e também já procurei na internet e não encontrei, se puder me ajudar, ficarei imensamente grata.